terça-feira, 1 de junho de 2010

O que é sofisma?

Por Carlos Chagas

Sofisma, segundo a filosofia, é um suposto raciocínio aparentemente válido, mas inconclusivo, pois é contrário às próprias leis. Possui caráter absurdo nas premissas da verossimilidade e, por definição, tem por objetivo, dissimular uma ilusão de verdade aparentando seguir normas de lógica.

Para Platão um sofista é um "um impostor, caçador interessado em jovens ricos, comerciante didático e atleta em combate verbalístico ou erístico, purificador de opiniões, mas também malabarista de argumentos, mais verosímeis do que verdadeiros, mais sedutores do que plausíveis".

Geralmente o sofisma tem ar de argumento inteligível e sábio, mas que na verdade, se demonstra não-compreensível ao mesmo tempo que é uma espécie de falácia ou golpe intelectual. Este é muito ligado à matemática.

Exemplos de sofismas:

Deus teria poder suficiente para criar uma pedra tão grande e pesada, que Ele mesmo não consiga carregar?

  • Se sim ele não é Todo-Poderoso porque não carregará a pedra. Se não ele não é Todo-Poderoso porque não consegue criar algo. Logo, Deus não é Todo-Poderoso. Aí o erro: O sofisma não aceitou a idéia de ser Deus Todo-Poderoso, uma vez que o nega nas entrelinhas. Se Deus não é Todo-Poderoso, para o sofista, para que então a pergunta?
Se Corisco é outra coisa e não um homem, é outra coisa que não ele mesmo, pois é um homem.

  • No círculo vicioso prova-se uma coisa por meio de outra e esta por meio da primeira. Sendo assim, cria-se um nó no raciocínio de quem lê dando a impressão, num primeiro momento, de que a tese está correta, mas que, num segundo momento, está errada. Neste sofisma, o sofista anulou a existência do Corisco, não o definindo como homem e nem como outra coisa. Isso não é possível porque o Corisco existe e assim sendo necessita de identidade. Parece que no final ele é conceituado como homem, o que não é possível já que no meio da afirmação ele é negado como sendo homem.

 Os sofismas são muito usados para derrubar idéias de outrem. Geralmente é visto publicamente em discussões sobre religião, política, filosofias, etc. Neste jogo de saber vence na argumentação quem for mais esperto intelectualmente.

Referências para mais pesquisas:

3 comentários:

  1. Respondendo a um amigo: Verossimilidade é a tentativa de aproximar uma hipótese (idéia ainda não-comprovada cientificamente) à confirmação da mesma, respeitando a coerência da obra ou texto ou frase como também as situações criadas e recriadas. A verossimilidade busca a verdade e o provável.

    ResponderExcluir
  2. Se o sofista não tem compromisso com nenhuma "verdade", nenhum deus, nenhuma lei, filosofia ou paradigma, sob que pretexto pode ser verdadeiro ou falso?
    Não seria apenas um pensador inofensivo para quem tem princípios, e também para quem não os possui?
    Quem tem princípios não os deixa por nenhum pensamento humano, quem não os tem não pode encontrar fora de si um inimigo pior que sua própria ausência de valores.
    Algo que excede todo entendimento não pode ser prejudicado por nenhuma estrutura de pensamento. Quem imagina que fé, paz e amor precisam de advogado, imagina que o próprio e verdadeiro Deus não é suficiente em si mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Anônimo;

      Entenda uma coisa: Todo sofisma é perigoso e astuto, mas nem todo sofista o é. O sofista tem o compromisso com a sofia (sabedoria), mas assim como no cristianismo têm os lobos vestidos em peles de ovelhas assim também no meio dos sofistas. No meio destes também existiam aqueles que não tinham compromisso com a verdade.

      Abração

      Excluir

Não esqueça de comentar esta postagem. Sua opinião é muito importante!

Compartilhe no Facebook

Você acha que mereço um voto? Então clique na imagem.

Central Blogs